Não categorizado

DOCE ISOLAMENTO! Quais Doces o Brasileiro Consome Mais?

Conheça abaixo o Top 10 de Doces Mais Consumidos pelos Brasileiros.

Em 2015, foi divulgada uma grande pesquisa sobre o consumo de açúcar no mundo, o Brasil estava na quarta posição. Com a chegada da pandemia, quase tudo mudou: modo de vida, demandas, necessidades, mais estresse e cansaço.

E o açúcar? É no doce que buscamos refúgio momentâneo. Quando estamos com alguma falta, existe uma tendência em tentar supri-la com comida, de preferência, doce ao paladar.

Isso pode explicar o crescimento no consumo de doces no país, que, de acordo com pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), foi de 41,3% antes da pandemia para 47,1% depois, incluindo chocolates, biscoitos e bolos. E entre adultos na faixa de 18 a 29 anos, 63% estão consumindo doces duas vezes por semana ou mais.

O fato de estarmos em isolamento e sem possibilidade de fazer grandes comemorações ou encontros com amigos e parentes também transformou o doce em uma opção de presente dos mais afetuosos. Chocolates, docinhos, como brigadeiros, e bolos estão entre os favoritos.

Mas e você sabe quais são os 10 doces mais consumidos no país e como surgiram?

Preparamos uma lista dos doces das mais diversas regiões do país para você conhecer:

  1. Brigadeiro

Simples e Gostoso, e é todinho nosso… A Mistura de chocolate em pó com leite condensado é brasileira! O nome brigadeiro, segundo algumas histórias, nasceu em homenagem a um candidato à presidência, o Brigadeiro Eduardo Gomes, que distribuía bolinhas de chocolate para conquistar eleitores.

  1. Goiabada

A goiabada surgiu no Brasil quando foi usada pelos colonos portugueses como substituto para confeccionar a marmelada. … A maior parte da produção de goiaba e goiabada do Brasil se encontra no estado de São Paulo, sendo a Predilecta a maior processadora do fruto.

  1. Pé de Moleque

Imagine a cena: nas ruas do Brasil colonial, quituteiras vendem uma iguaria feita de rapadura e amendoim. … Assim foi batizado o nosso pé de moleque, um clássico que surgiu no Brasil em meados do século 16, com a chegada da cana-de-açúcar à Capitania de São Vicente.

  1. Quindim

O historiador Carlos Barros conta que a iguaria nasceu nos conventos. As freiras utilizavam as claras dos ovos para engomar as roupas e, com as gemas, preparavam o doce Brisas do Liz – que originalmente era feito com amêndoa mas, com a escassez do ingrediente no Brasil, foi substituída pelo coco.

  1. Pudim

Essa sobremesa surgiu no século XVI dentro dos conventos portugueses. E foi ensinada para nós brasileiros, já que eles eram nossos colonizadores, pegamos o gosto pelo doce bem rápido. Nessa época o pudim era feito de leite ainda, não de leite condensado.

  1. Pamonha Doce

A pamonha tem origem indígena. Os índios latino-americanos comiam muito milho verde amassado com leite de coco, manteiga e erva doce. Tanto que a palavra vem do tupi, pamu-ña, algo como empapado. Desde então a pamonha é um quitute consumido em várias regiões do Brasil.

  1. Compota

Segundo pesquisas, foi desenvolvida principalmente para preservar os mais variados tipos de fruta. … Algumas pesquisas creditam esta criação aos árabes, mais precisamente aos mesopotâmios, que a utilizavam para fins medicinais.

  1. Bolo de Rolo

Muita gente pensa que o bolo de rolo é uma iguaria pernambucana, mas as origens são de Portugal. De acordo com o historiador José Urbano, no país colonizador, o doce era feito com recheio de pasta de amêndoas, que foi substituído pelo de goiabada devido à abundância da fruta no Brasil.

  1. Paçoca

A paçoca servia como alimento dos garimpeiros que saíam para procurar diamantes às margens do rio Tibagi, no Paraná, e teve origem nos alforjes dos tropeiros e dos senhores das sesmarias dos Campos Gerais.

  1. Rapadura

A rapadura tem origem no continente europeu e surgiu no século XVI. Foi uma solução criada para substituir o açúcar nas longas viagens, já que o adoçante granulado era mais perecível, pois umedecia e melava facilmente.

Agora que já conheceu os principais doces consumidos no país, que tal pensar em novas receitas pro cardápio que contenham estes doces? Afinal, o cliente sempre tem razão não é mesmo?

Azure Embalagens